Chapati e poori: o pãozinho de sobrevivente.

em

Inicialmente, pensei nesse site até numa terapia pessoal,na confecção de pães de longa fermentação e carnes curadas. Por isso o nome sobre sal e paciência. Sal é um catalisador que controla a fermentação e o glúten na panificação, e o conservador básico de qualquer carne curada.
Então, porque diabos eu tô começando justamente com a receita de um pão ázimo?
Primeiro, sou eu que tô escrevendo, e escrevo sobre o que quiser.
Segundo, porque a receita do chapati (e consequentemente sua versão frita, o poori) deveria ser ensinada na escola: e simples, mata a fome, é barato e fácil.
Terceiro: por mais que o trabalho da levedura seja essencial pra transformação do pão, temos de dar o braço a torcer aos indianos por desenvolver uma técnica tão simples, versátil e gostosa de fazer pão.

Segundo a Wikipedia (deixe de ser um erudito neurótico: a Wikipedia tem sua utilidade), Chapati é um pão típico da culinária indo-portuguesa de Goa, Damão e Diu, outrora pertencentes ao Estado Português da Índia. Dado o número elevado de descendentes de goeses radicados em Moçambique, é também um pão comum nas mesas nesse país africano.
Os chapatis são preparados com uma farinha de trigo integral especial, tradicional da Índia, também denominada chapati. Estes pães são normalmente consumidos no desjejum, podendo, no entanto, ser consumidos em qualquer refeição ao longo do dia, de preferência quentes, acabados de fazer.
Para além da farinha de trigo integral, pode incluir ainda açúcar, manteiga, óleo e sal. Com estes ingredientes é formada uma massa, que é usada para formar apas (pão-folha) com cerca de 15 cm de diâmetro, que são assados numa frigideira.
O poori segue a mesma linha, mas ao invés de assado em uma chapa e passado na brasa, é frito.

Segue a receita:

1 xícara (chá) de farinha de trigo integral
½ colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de óleo
½ xícara (chá) de água
Farinha de trigo branca (para polvilhar)

Modo de preparo da massa:

Numa tigela grande, misture o sal, a farinha e metade da água, formando uma farofa granulosa. A seguir adicione o óleo e continue sovando. Após incorporar o óleo, adicione o restante da água até a massa ter uma textura macia e elástica. Deixe descansar por 10 minutos.

Assando o chapati:

Aqueça uma frigideira grande. Separe a massa em oito bolinhas. Transforme essas bolinhas em discos fininhos, com a ajuda de um rolo de massa (ou uma garrafa de vidro) e polvilhe farinha branca. Passe essas panquequinhas na chapa quente por 30 segundos de um lado, depois 15 segundos do outro.
Após, isso, retire da frigideira e passe a massa direto na chama do fogão (sim, isso faz a massa inflar e termina de coze-la).
Pronto!

Fritando o poori:

Aqueça óleo numa panela, numa altura razoável. Separe a massa em vinte bolinhas, transformando-as em disquinhos fininhos e polvilhando um pouquinho de farinha branca. Frite no óleo da panela bem quente até ficarem dourados.
Divirta-se!

Achou difícil? Tem um vídeo da Rita Lobo explicando, pra te ajudar.

 

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s